fbpx skip to Main Content
PACS: Como Surgiu E Quais São As Perspectivas Futuras?

PACS: como surgiu e quais são as perspectivas futuras?

Se hoje temos agilidade nos processos de diagnóstico por imagens, é porque o PACS (Sistema de Arquivamento e Comunicação de Imagens) vem sendo desenvolvido e aprimorado para otimizar os fluxos de trabalho. Mas como ele surgiu e o que podemos esperar do futuro? Neste artigo, você irá conhecer a história do PACS e qual é a melhor solução no mercado atual.

Como o PACS surgiu? 

Antes da década de 80, tecnologias obsoletas e não integradas gerenciavam os dados dos exames de imagem, impossibilitando que uma imagem gerada em um computador fosse arquivada, exibida ou impressa em outro. 

A necessidade de agilizar os processos nos centros de imagens impulsionou o desenvolvimento de softwares para a integração dos dados. E, por volta de 1980, efetivamente surgiu o PACS, cuja implantação, inicialmente, foi feita por engenheiros em universidades nos EUA e na Alemanha.

Apesar de mostrar o potencial de interface com outros sistemas e análise das imagens em cópia eletrônica, era uma inovação ainda muito cara, centralizada em grandes fabricantes e seu uso não era prático para os hospitais fora das universidades. Logo, ajustes no PACS tiveram que ser feitos.

Por volta de 1990, com o aprimoramento do PACS, hospitais e centros de imagens passaram a utilizá-lo em seus fluxos de trabalho, inclusive foi quando chegou ao Brasil. O que inovou os serviços de radiologia com informações digitais, sem precisar de filmes para análises e diagnósticos, reduzindo os custos com armazenamento e impressão.

O PACS no século XXI

Ao longo dos anos, a tecnologia do PACS continuou a avançar. Hoje, no século XXI, muitos PACS tornam possível:

  • Transmissão de imagens em segundos: a necessidade de distribuição de imagens cresceu. A transmissão dos arquivos com muitos megabytes ocorre rapidamente para outras estações de trabalho, incluindo as que estão fora do hospital/centro de imagem;
  • Mais precisão no diagnóstico: a visualização das imagens em alta qualidade, zoom, rotação 3D e o compartilhamento de informações com médicos terceiros favorecem o diagnóstico com mais precisão;
  • Armazenamento em nuvem: o arquivamento de informações realizado em nuvem, reduz o custo com infraestrutura de TI. Possibilitando a telerradiologia para o diagnóstico a distância;
  • Inteligência artificial: para complementar a atuação do médico radiologista na análise e laudo, padrões e algoritmos definidos reduzem o tempo de leitura de imagens, aumentando a produtividade e a assertividade no diagnóstico;
  • Centralização de dados dos pacientes: a integração do PACS com o RIS (Sistema de Informações Radiológicas) e HIS (Sistema de Informações do Hospital) centraliza os dados e permite acesso rápido ao que é necessário para a realização do exame, diagnóstico e laudo. Para que isso seja possível, o hospital deve ter uma estrutura de rede adequada e estar de acordo com a DICOM (Digital Imaging and Communications in Medicine), que é o padrão global para o compartilhamento de imagens e informações médicas. 

Assim, o PACS torna-se essencial na radiologia e fundamental para as decisões sobre a saúde do paciente.

Perspectivas futuras do PACS

A velocidade e a necessidade do compartilhamento de informações só tendem a crescer. O que exige sistemas escaláveis, flexíveis e abertos que combinem tecnologia para um diagnóstico cada vez mais preciso. Para isso, o futuro do PACS está relacionado a:

  • Acompanhar a evolução dos equipamentos de imagens, como tomografia, ressonância, medicina nuclear, ultrassonografia etc., para continuar operando em mesmo nível de desempenho;
  • Trabalhar com informações multidisciplinares e que vão além da radiologia, como a cardiologia, dermatologia, gastroenterologia entre outros;
  • Apresentar soluções cada vez mais remotas, já que a telemedicina já é uma realidade. Portanto, deverá atualizar-se com inovações de armazenamento em nuvem para garantir acesso rápido, prático, seguro e intuitivo por diferentes pessoas, em qualquer dispositivo, local e horário.

Conheça o ONRAD: o PACS com visão de futuro

Desde 2006, o ONRAD é um PACS referência na radiologia. É desenvolvido e implantado pela 2M Solutions, a primeira empresa nacional a criar uma plataforma integral e completa de telerradiologia, operando em nuvem de forma segura, eficaz e confiável.

O ONRAD está sempre a frente do mercado, criando o futuro para atender às necessidades atuais. Tem tradição em inovações constantes que elevam o desempenho dos serviços de saúde em todo o território nacional.

Suas funcionalidades fazem dele a melhor solução de PACS no mercado atual:

  • Customização e personalização de acordo com o nível de serviço do hospital. Visto que a implantação é feita pela mesma empresa que o desenvolveu, que está sempre pronta para atender aos desafios únicos de cada cliente;
  • Acesso a distância do exame, laudo e resultados anteriores para visualização e análise pelo médico solicitante ou terceiro, sem duplicação de conteúdo e sem travamento entre etapas;
  • Inteligência artificial analisando as imagens e indicando possibilidades de diagnóstico. Eficácia que foi comprovada na pandemia da COVID-19 em 2020;
  • Integração com sistemas distintos, pois elimina repositórios de dados. Assim, eles aparecem na tela rapidamente, mesmo se foram originados em um outro um sistema, arquivo de outro fornecedor ou um arquivo ONRAD;
  • Protocolos padronizados para definir como o seu serviço de radiologia vai atuar, aumentando a segurança do seu negócio.

Grandes hospitais, reconhecidos internacionalmente, utilizam o ONRAD para o gerenciamento de exames radiológicos, como o Hospital do Rim e o Instituto de Câncer Doutor Arnaldo.

Faça como eles e tenha o ONRAD operando em seu centro de imagens.

Solicitar atendimento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top