fbpx skip to Main Content
RIS: 3 Riscos De Quando é Incompleto E Ineficiente

RIS: 3 riscos de quando é incompleto e ineficiente

A maioria das clínicas de imagens no Brasil contam com a tecnologia do RIS para automatizar seus processos. Porém, nem todos são completos e eficientes para garantir um alto desempenho tanto no gerenciamento do paciente como na gestão interna. E quais podem ser as consequências disso para uma clínica? Continue lendo e conheça os 3 riscos de um RIS incompleto e ineficiente, e qual a melhor solução.

Qual é a proposta do RIS?

Sabemos que o RIS (Sistema de Informação Radiológica) é um software que auxilia as clínicas de exames de imagens a controlar o fluxo de trabalho, desde a entrada até a saída do paciente e todas as etapas internas.

A proposta do RIS é realizar o gerenciamento do paciente por meio de funções que viabilizam o agendamento, rastreamento do histórico, visualização e compartilhamento de imagens, emissão de relatórios e faturamento.

Sem um RIS ou com um software impreciso, a equipe gasta muito mais tempo acompanhando o progresso de cada paciente, além de outras consequências para a clínica. 

3 riscos de um RIS incompleto e ineficiente

Um RIS não é efetivo quando não se integra totalmente a outros sistemas da clínica. E também quando possui poucas funcionalidades, tornando-o incapaz de validar as informações. Dessa forma, ocorrem lacunas no fluxo de trabalho que comprometem, seriamente, a segurança dos dados.

Se você identificou essa realidade no RIS com o qual a sua clínica trabalha, confira os 3 maiores riscos que a sua clínica pode correr:

  1. Não cumprimento da LGPD: 
    • A falta de integração do RIS com outros sistemas e equipamentos provoca a não conformidade entre o número do atendimento; número de prontuário e o número de acesso individual para cada exame. Isso prejudica a segurança da informação do paciente;
    • As falhas nas proteções facilitam o acesso não autorizado das informações do paciente. O que impede a segurança total dos registros, armazenamento, compartilhamento e tratamento de dados privados do paciente. 
    • Vale ressaltar que o não cumprimento da LGPD ocasiona multas proporcionais ao faturamento da empresa.
  2. Duplicação de informação: registros de pacientes, fornecedores, produtos, imagens e relatórios são duplicados em vários sistemas. Por não estarem integrados, não compartilham informações em tempo real. Dessa forma, ocorrem: 
    • Fragmentação de dados em diferentes banco de dados;
    • Relatórios incompletos;
    • Falsa sensação de conhecimento integral das informações.
  3. Travamento entre etapas: 
    • O fluxo de informações é interrompido entre as etapas da jornada do paciente e da clínica. Com isso, alguns setores deixam de receber informações importantes para prosseguir com o trabalho. Sendo necessária uma outra forma de compartilhamento extra sistema, como e-mails e impressões de papéis.
    • Assim, aumenta-se o tempo de execução das atividades e, ao mesmo tempo, o risco de não estarem trabalhando com dados atualizados. Podendo comprometer a qualidade do resultado do exame.

ClinicalForce: o RIS para a jornada completa do paciente e da clínica

O ClinicalForce da 2M Solutions é um sistema específico para a área da saúde. Nas clínicas de exames, ele atua como um RIS. A sua funcionalidade se diferencia dos demais:

  • Integração ao PACS ONRAD: 
    • Quando é feito o cadastro no ClinicalForce, há uma integração automática com o ONRAD: envio de informações sobre o paciente, incluindo-o na worklist dos equipamentos de exames da clínica;
    • O técnico verifica as informações do paciente diretamente pelo equipamento, não sendo necessário novas digitações que podem gerar inconsistência de dados;
    • Após a realização do exame, o próprio equipamento envia as informações para o laudo no ONRAD ou ClinicalForce.
  • Inteligência no agendamento de exames: segue um critério pré-estabelecido sobre os procedimentos de cada exame. Ele considera qual deve acontecer primeiro. Por exemplo: não permite agendar ultrassom após a endoscopia, somente o contrário;
  • Agendamento por unidade: somente agenda exames em unidades autorizadas a realizar determinado procedimento;
  • Evita atrasos: em caso de fila na sala de espera, o ClinicalForce pode indicar quais exames podem ser antecipados para não atrasar os pacientes.
  • Informações para o laudo: em uma única tela de visualização, o médico tem informações consistentes, digitalizadas e imagens de qualidade para o laudo;
  • Rastreabilidade ponta a ponta: rastreabilidade completa que indica a situação do laudo no momento, quando e quem fez a digitação, alterações, impressões e assinaturas. Dando a garantia de que não sofrerá alterações posteriores;
  • Entrega de exames pela internet: disponibiliza o resultado no portal da clínica e avisa o paciente de que está finalizado;
  • Favorece o faturamento: segue as regras do contrato com cada convênio, evitando as glosas e agilizando o prazo de recebimento. Demonstra, também, uma lista dos recebíveis;
  • Integração financeira: módulo financeiro com funções que realizam o controle de caixa, contas a pagar, contas a receber, emissão de notas fiscais e demonstrativo de resultados;
  • Controle de estoque: controla as validades e lotes de cada item do estoque;

Vantagem da 2M Solutions

Todos os sistemas da 2M Solutions são efetivamente integrados para automatizar o fluxo do paciente e da clínica de ponta a ponta.

Eleve o padrão da gestão da sua clínica com o RIS da 2M Solutions.

Solicitar atendimento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top